sexta-feira, 7 de março de 2008

Observatório de segurança social e proteção da vida


O Observatório de Segurança Social e Proteção da Vida é um laboratório de pesquisa vinculado ao CNPq (uma das Unidades que compõe o Projeto Casa Brasil / www.casabrasil.gov.br). O Observatório de Proteção da Vida, se constitui para desenvolver ações que permitam a capacitação de recursos humanos dos locais para atuarem como Observador@s de Segurança Social e Proteção da Vida nas Comunidades, numa perspectiva de diagnosticar violências BioPsicoSociais que acontecem no Loteamento Dunas, e poder estar sugerindo ações locais preventivas / vontade de saber.

Sensibilizar e comprometer organizações governamentais e não governamentais, movimentos, grupos culturais e pessoas moradoras da comunidade, para que assumam a responsabilidade da reflexão, elaboração e execução de ações, com base em diagnósticos BioPsicoSociais, que visem a segurança social e à proteção da vida na comunidade. De maneira que as ações, projetos e programas sociais em execução ou por vir, articulem - se transdisciplinarmente, constituindo redes temáticas e integradas local e global, procurando sempre refletir e agir preventivamente sobre as situações de violência BioPsicoSociais que acontecem no Loteamento Dunas.

Para isso trabalhamos na perspectiva de viabilizar práticas Locais de Registro de Violências BioPsicoSociais e as circunstâncias e frequência com que elas ocorrem, os tipos de ações causadoras, os instrumentos ou materiais envolvidos, se o fato foi intencional ou não intencional. Realizar o levantamento da história pessoal dos envolvidos considerando relações familiares e afetivas, condições de vida, episódios anteriores, enfim o máximo de informações subjetivas e objetivas possíveis, que permitam implementar os registros - Bancos de Dados que apontem a freqüência de ocorrências, suas prováveis causas e suas possíveis conseqüências individuais e comunitárias. Assim como, criar instrumentos de medida para avaliar as ocorrências das violências BioPsicoSociais, refletindo suas causas e conseqüências, sistematizando – as e chegando a um produto final de divulgação pública deste processo de observação sobre a saúde biopsicosocial da comunidade, utilizando para isso todas as publicações formais e informais e as mídias locais e nacionais, possíveis e disponíveis.

Por fim, capacitar pessoas envolvidas em realização de ações locais de pesquisa sobre segurança social e proteção de vida, através de Cursos de Formação de Observadores Sociais Populares: que trabalhe os saberes necessários para a capacitação de pesquisador@s Locais para realização de diagnósticos e pesquisas BioPisicoSociais no Loteamento Dunas por pessoas diretamente envolivdas com a realidade deste território. Curso que consiga tocar em temas específicos: 1 - Ampliação dos Conceitos de Segurança Social (Observações BioPisicoSociais); 2 - Pesquisa e sua abordagem qualitativa e quantitativa. 3 - Como elaborar pesquisas/observações; 4 - Definição de Temas a serem pesquisados/Observados; 5 - Construção de Pesquisas / Observações a serem definidas; 6 - Aplicação e Análise das Pesquisas / Observações.


Histórico do Observatório de Segurança Social e Proteção da Vida

Ao longo de 10 anos há em curso no território do Loteamento Dunas ações que mesmo com algumas descontinuidades mantém conexão e continuidade com ações de desenvolvimento local. Esta caminhada vem fortalecendo pessoas e instituições da cidade de Pelotas e do Loteamento Dunas, e atualmente envolve diversas instituições e indivíduos, mais recentemente constituiu-se a UNIPERIFERIA – Instituto Universidade da Periferia (2005 - constituída por instituições e indivíduos), instituto que se constitui para incentivar práticas que valorizem os saberes e as culturas dos locais (empoderamento e autonomia), trabalhando ensino (formação e capacitação), ações comunitárias (projetos e ações locais de desenvolvimento) e observações (pesquisas e produção de saberes). A Experiência Piloto de Formação da Vidadania em Ação, integrada com Ensino e Pesquisa, está sendo colocada na prática na comunidade do Loteamento Popular Dunas, na cidade de Pelotas – RS, a partir do PRODUNAS – Programa de Desenvolvimento do Dunas, que articula diversas instituições governamentais e não governamentais e se organiza comunitariamente em 04 Áreas Temáticas / Frentes de Ação: a) Ambiência Urbana; b) Educação e Cultura; c) Saúde e Segurança Social; d) Tecnologias da Informação e Comunicação.

Além da UNIPERIFERIA aconteceu também em 2005 mais dois fatos fundamentais nesta perspectiva de ações de segurança social e proteção da vida: Um encontro nacional sobre saúde e segurança social que nos levou a ter um contato com a rede mundial e brasileira de cidades e comunidades protetoras da vida; e também a aprovação do Projeto de Inclusão Digital - Casa Brasil do Governo Federal / CNPq (www.casabrasil.gov.br) que é composto por cinco unidades (I – Telecentro; II ‑ Produção Cultural e Multimídia; III – Laboratório de Pesquisa; IV – Biblioteca e Sala de Leitura; e V – Auditório). Uma das unidades deste projeto era um laboratório de pesquisa e permitia que sugeríssemos uma proposta (Nacionalmente a maioria dos laboratórios foram de Metareciclagem / Reciclagem de equipamentos de informática), no nosso caso / Loteamento Dunas encaminhamos o Observatório de Segurança Social e Proteção da Vida, único no Brasil. Pensamos um observatório que desenvolvesse ações para capacitação de recursos humanos dos locais (profissionais de OGs e ONGs) para atuarem como Observador@s de Segurança Social e Proteção da Vida nas Comunidades, numa perspectiva de diagnosticar violências BioPsicoSociais que acontecem no Loteamento Dunas, e poder estar sugerindo ações locais preventivas.

No final de 2006 o Observatório de Segurança Social iniciou suas atividades pautadas em 03 objetivos específicos e respectivas metas de ação de trabalho para 2007 / 2008, quais sejam:
1.Fomentar a participação e responsabilidade social d@s morador@s e Organizações, Governamentais e Não Governamentais Locais e Globais;
Sensibilizar e comprometer organizações governamentais e não governamentais, movimentos, grupos culturais e pessoas moradoras da comunidade, para que assumam a responsabilidade da reflexão, elaboração e execução de ações, com base em diagnósticos BioPsicoSociais, que visem a segurança social e à proteção da vida na comunidade. De maneira que as ações, projetos e programas sociais em execução ou por vir, articulem - se transdisciplinarmente, constituindo redes temáticas integradas local e global na constituição de Comunidades Seguras de Si.

2.Mapear os indicadores de qualidade de vida e de Violências BioPsicoSociais que aconteçam no Loteamento Dunas;
Viabilizar práticas Locais de Registro de Violências BioPsicoSociais e as circunstâncias e freqüência com que elas ocorrem, os tipos de ações causadoras, os instrumentos ou materiais envolvidos, se o fato foi intencional ou não intencional. Assim como, criar instrumentos de medida para avaliar as ocorrências das violências BioPsicoSociais, refletindo suas causas e conseqüências, sistematizando – as e chegando a um produto final de divulgação pública deste processo de observação sobre a saúde biopsicosocial da comunidade e sua capacidade de se constituir como uma Comunidade Segura de Si.

3.Capacitar pessoas interessadas e/ou envolvidas em práticas de segurança social e proteção de vida.
Capacitar pessoas envolvidas em realização de ações locais de pesquisa sobre segurança social e proteção de vida, através de Cursos de Formação de Observadores Sociais Populares: que trabalhe os saberes necessários para a capacitação de pesquisador@s Locais para realização de diagnósticos e pesquisas BioPisicoSociais no Loteamento Dunas por pessoas diretamente envolvidas com a realidade deste território.

Em 2007 então começamos a articular junto a FaE / UFPEl uma ação para atingir o terceiro objetivo do Observatório de Segurança Social e Proteção da VIda, assim chegamos a idéia do Curso de Observador@s Sociais, curso que desdobrou- se a partir das conversações realizadas, em temáticas que dessem conta de: Ampliação dos Conceitos de Segurança Social (Observações BioPisicoSociais); Pesquisa e sua abordagem qualitativa e quantitativa; Como elaborar pesquisas/observações; Definição de Temas a serem pesquisados/Observados; Construção de Pesquisas / Observações a serem definidas; e Aplicação e Análise das Pesquisas / Observações.

Em maio de 2008 demos início ao curso de Observador@s Sociais que além de estar capacitando atuantes de ONGs e OGs (16 encontros presenciais – Total de 64 horas), estamos realizando cinco Pré Projetos de Observação / Pesquisa (116 horas de observações práticas - Grupo 01 – Tema: Evasão E Repetência Escolar; Grupo 02 – Tema: Violência Biopsicosocial No Loteamento Dunas; Grupo 03 – Tema: Cárcere; Grupo 04 – Tema: Drogadição; Grupo 05 – Tema: Educação Infantil. Esperamos que este Curso se paute também por integrar ensino e pesquisa, desdobrando-se em ações comunitárias locais que colaborem e potencializem as práticas de segurança social na perspectiva de constituir comunidades Seguras de Si (Protetoras da Vida).